A sobrevivência alimentada pela vingança.

Título Original: The Revenant (2015)
Realizador: Alejandro Iñarritu
Actores: Leonardo DiCaprio, Tom Hardy, Domhnall Gleeson

img_0628.jpegPraticamente toda a gente vai ver o “The Revenant” para ver o Leonardo DiCaprio e julgar se deve ou não ganhar finalmente o Óscar. Não façam isso. O filme tem muito mais. Em relação ao Leo, já lá vamos.
Este filme vai entrar para aquela lista de grandes filmes que provavelmente nunca mais vou ver. A história registada pelo grande Iñarritu, é tão real, tão crua, tão sofrida que custa a ver. É um filme muito diferente do “Birdman” com que ganhou a estatueta o ano passado. Será mais na linha dos igualmente arrebatadores “Biutiful” e “Amores Perros”. A realidade como ela é.

Não sei se vai voltar a ganhar o Óscar. Será difícil repetir, por uma questão de história da Academia. Mas que o merece, não tenho dúvidas.

Mais curioso vai ser o Óscar de Melhor Fotografia. Mesmo sem ter visto todos os candidatos, e tendo em consideração o grande trabalho do John Seale no “Mad Max: Fury Road”, o inacreditável Emmanuel Lubezki TEM QUE GANHAR. O unico senão é que o senhor já ganhou o ano passado com o “Birdman” e no ano anterior com “Gravity”. Não sei se já aconteceu, mas será possível acontecer um hat-trick? Duvido. Por isso mesmo, adivinho já a primeira grande injustiça desta leva de Óscares.
Este mexicano está on fire e é actualmente o melhor Director de Fotografia da praça, sem espinhas. O domínio da câmara e da iluminação é qualquer coisa de espetacular. Cada frame dá um quadro, mas mais que isso, a inovação no movimento da câmara e na utilização de ângulos inesperados é absolutamente brilhante. Como prova, as suas parcerias com os conterrâneos Iñarritu (Birdman) e Cuarón (Gravity, Children of Men e Y Tu Mamá También) ou com o veterano Mallick nos seus últimos filmes (Knight of Cups, To the Wonder, The Tree of Life e The New World).

Em relação ao DiCaprio. Vai finalmente ganhar? Não sei. Nunca fui grande fã da novela. Que já podia ter ganho é um facto. Que este papel é digno do prémio? Sem dúvida. Dos nomeados já vi também o Eddie Redmayne (The Danish Girl), o Michael Fassbender (Steve Jobs) e o Matt Damon (The Martian). Todos fazem papeis excelentes. Não ficaria mal entregue a nenhum destes. A minha preferência inclina-se para uma final entre o DiCaprio e o Damon.

Quem também está a um nível superior (o que vem sendo habitual) é o camaleónico Tom Hardy. Grande, grande interpretação. Não soubesse pelo poster que entrava no filme, provavelmente ficaria o tempo todo sem saber que era ele.

De resto, uma última menção ao Domhnall Gleeson. Alguém que desencante mais papéis principais a este rapaz. Não falha um. Já merece.

Resumindo: a ver. No cinema. Um dos melhores filmes do ano.

Facebook Comments

Leave a comment