E.T. Cetera

maxresdefault

Se na crónica que antecedeu esta, e que por sinal marcava a minha estreia neste espaço, vos recomendava uma busca aos vossos baús por possíveis VHS esquecidos, desta feita o apelo, se bem que pela mesma demanda, toma a forma de uma urgência a que não devem virar costas. É que se anteriormente o caso tinha a ver com a possibilidade de poderem passar uns tempos atrás das grades, coisa a que muitos nem faz grande diferença, a verdade é desta vez essa procura tem a ver com uma das mais reprimíveis e assustadoras características deste ser humano que somos todos nós: a ganância. E esta, tratando-se de avultadas quantias do vil metal, já pode fazer diferença a muito boa (?) gente. Por isso, regressem ao vosso passado nessas autênticas máquinas do tempo que são todos esses baús poeirentos e bolorentos repletos de memórias e artigos esquecidos, e mergulhem fundo e atentamente nos mesmos, pois em algum deles pode esconder-se uma verdadeira jóia da coroa, prestes a brilhar. Assim, e se por um acaso de extrema fortuna são possuidores de um destes títulos nesse formato entretanto datado que é o VHS, podem bem ser os felizes contemplados com uma espécie de bilhete premiado de uma taluda alusiva exclusivamente à sétima arte. A saber:

  1. Frankenstein’s Castle of Freaks (JVI) £1,500

  2. The Beast in Heat (JVI) £1,200

  3. Betrayed (Taboo) £1,100

  4. Celestine (GO) £1,100

  5. The Legend of Hillbilly John (Rainbow) £1,000

  6. Journey Into Beyond (Citycenta GO) £1,000

  7. Lemora, Lady Dracula (IFS) £900

  8. Don’t Open the Window (Films of the 80s) £900

  9. Flesh Eaters (Knockout) £800

  10. Black Decameron (Intervision) £800

São estes os 10 magníficos títulos que devem fixar e que, muito recentemente, foram considerados pérolas da sétima arte, sobretudo se gravados nessas fitas mágicas que fizeram as delícias de miúdos e graúdos no tempo em que o Blu-Ray nem miragem ainda era e onde eu, orgulhosamente, me revejo. É muito natural que nenhum de vós se inclua no role dos felizardos que possuam uma desta relíquias esquecidas, pois a maioria delas remonta aos anos 70 do século passado, à chamada “vídeo nasty era”, tendo muitas sido inclusive censuradas e proibidas em diversos países, o que lhes aumentou ainda mais o valor que, em alguns casos, ascende mesmo aos £1,500! Por esses valores, claro que também eu apelei à ganância por mais uns “trocos” e parti à procura, qual salteador de um VHS perdido, por um título lá esquecido nos confins que me permitisse um mês um pouco mais desafogado. Mas nada. O mais valioso que por lá achei, de valor, apenas o sentimental. Que não enche a carteira, é certo, mas nos preenche o coração de uma alegria indescritível de cada vez que voltamos a olhá-lo, tocá-lo, senti-lo. Moral da história: O dinheiro não traz felicidade, mas um velhinho VHS pode protagonizar esse milagre.

Facebook Comments

Leave a comment