Os meus 10 melhores filmes de BD de sempre.

Yippie-Ki-Yay MotherFucker

O André Simões, um dos nossos gerentes aqui do Filmes em Série, pediu a todos os colaboradores da página uma lista com os melhores adaptações de BD para o grande ecrã. O que por si só é uma injustiça já que, segundo este critério, “Daredevil”, da Netflix, uma adaptação de BD que coloca metade dos candidatos da lista no chinelo, fica de fora do desafio.

Também da lista proposta, não consta o clássico “Conan – The Barbarian” (1982) realizado pelo grande John Milius, com guião do ainda desconhecido mas já genial Oliver Stone e que ajudou Arnold Schwarzenegger a ser o rosto (e os bíceps) do cinema de ação nos últimos 40 anos.

Portanto, aceitei esta missão como quem escuta a sirene da polícia e veste a armadura do Batman – o faço porque ninguém mais é capaz de o fazer.

A minha lista é esta.

Batman (1989)

Houve uma época em que eu adorei este filme – a época em que nós, nerds, começávamos a sair de debaixo das pedras. Se hoje é cool falar de BD muito se deve a este filme exagerado e caricato realizado por Tim Burton. Justo ele que diz nunca ter lido uma BD na vida, mudou a vida de tantos nerds. Michael Keaton continua sendo o pior Batman de sempre. Mas o primeiro Batman, a gente nunca esquece.

X-Men (2000)

O primeiro filme da era X-Men chegou antes da banda desenhada ser a galinha dos ovos de ouro de Hollywood. Havia menos dinheiro, menos pretensão e talvez, por isso, mais coragem. Escalar o desconhecido Hugh Jackman para viver o personagem mais badass da BD foi arriscado na altura e hoje é uma das melhores decisões de casting da história.

X-Men: First Class (2011)

Renovar uma série de sucesso como a franquia “X-Men” da Fox não parece coisa fácil – e não é. Mesmo assim, o realizador Matthew Vaughn (do genial “Kingsman”) conseguiu trazer para o gênero toques do James Bond dos anos 60 – e o Michael Fassbender como vilão – criando um dos filmes mais cool da história da BD.

Conan – The Barbarian (1982)

Bruto, cru, violento e filosófico, “Conan” de 1982 é tudo o que a banda desenhada da Marvel sempre foi (e que popularizou o personagem criado na literatura pulp por Robert E. Howard). Fazer tudo isso com a produção ítalo manhosa do Dino de Laurentis é coisa de macho.

Iron Man (2008)

Robert Downey Jr. estava (e vou tentar dizer isto de maneira simpática) na merda antes de “Iron Man” – ex-presidiário, ex-drogado, ex-bad boy de Hollywood, aquele que ninguém escalaria para papel nenhum. John Favreau e a Marvel bancaram o ator no papel e algo mágico aconteceu: nascia o perfeito Tony Stark e o Ironman passou a ser o personagem mais charmoso do cinema.

The Avengers (2012)

Mais do que um filme, “Avengers” é a inauguração de um edifício que a Marvel andou a construir durante quase uma década. É uma espécie de Shopping Colombo dos super-heróis com tudo o que você sempre quis ver – fontes, escadas rolantes e estacionamento para 500 carros. A DC está a tentar repetir a fórmula sem gastar dez anos e cinco filmes. Boa sorte, DC. Vão precisar.

Spiderman II (2004)

Tom Holland promete dar um belo Spider Man (pelo que vimos no Capitão América “Guerra Civil”) mas o Tobey Maguire pra mim continua imbatível. Todo o drama suburbano e adolescente que é ser o Homem Aranha está contigo neste filme maravilhoso do Sam Raimi. O genérico de abertura com a arte do Alex Ross é de arrancar uma lágrima nerd de qualquer um.

Batman Begins (2005)

Eu sou um fan boy do Batman, fazer o quê? Depois da decepção que era ter o Michael Keaton no papel do homem morcego, vem o Christian Bale com o Batman perfeito. O guionista David Goyer também ajuda escolhendo para o filme uma parte nunca contada da trajetória do herói – os anos em que o jovem Bruce Wayne desapareceu até voltar como Batman. 75 anos de personagem e ninguém havia pensado nisso. Quem diria.

The Dark Knight (2008)

Foi só com a continuação de “Batman Begins” que o cinema passou realmente a levar a sério a BD. Ah, também podemos fazer um filme mais pretensioso? Ah, um ator também pode ganhar um Oscar – mesmo que póstumo – interpretando um vilão da BD? Ah, posso fazer um Joker melhor do que o do Jack Nicholson? Sim, sim e sim, responde o Christopher Nolan com “The Dark Knight”. Pena que a seguir ele botou tudo a perder com o miserável “The Dark Knight Rises”.

Superman (1978)

Não é só o melhor filme jamais feito sobre um personagem de BD, é um dos grandes filmes do cinema de ação de todos os tempos. A cena em que o Superman salva o helicóptero e a Lois Lane prestes a cair do topo do edifício do Planeta Diário deveria ser vista por toda a gente, estudada nas escolas de cinema e passar na TV todos os dias às oito da noite antes dos miúdos irem p’ra cama. É um orgasmo de pura fantasia que levou a risca numa era pré CGI a promessa do filme – “Vais acreditar que o homem pode voar”.

“Batman v Superman” fica de fora desta lista porque ainda é cedo para dizer se estou mesmo louco ou se o Ben Affleck será mesmo o melhor Batman de sempre.

Yippie-Ki-Yay MotherFucker

Facebook Comments

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *