Os sons de uma infância.


Nunca vos aconteceu ficar com uma música de repente na vossa cabeça? Uma música que vos transporta de imediato para aquele tempo em que todo o universo encaixava num ecrã de televisão na sala à frente do qual se sentavam demasiado perto? O Top 10 de hoje pretende dar-vos uma pequena janela sobre a infância deste que vos escreve.

Uma ressalva que deve ser feita antes que os meus estimados leitores me arranquem a cabeça à dentada. Esta lista é dedicada exclusivamente a desenhos animados, não a programas infanto-juvenis de um modo geral – daí as ausências de clássicos como “Verão Azul”, “Rua Sésamo” ou “Os Amigos do Gaspar”. É também dedicada a desenhos animados para crianças – daí as ausências de “Os Simpsons”, “South Park” ou “Family Guy”.  E é importante não esquecer que isto é suposto ser uma lista nostálgica. “Cowboy Bebop” tem dos melhores genéricos de sempre, mas eu tinha mais de 20 anos quando o vi pela primeira vez, por isso não conta. E, para terminar, o “Dartacão” não entra porque, clássico nostálgico que é, não é tão bom como estas que vos apresento. Deal with it.

Dito tudo isto, segue a lista:

Top Cat

Um desenho animado clássico dos anos 60 com uma música que remonta aos anos 40. Entra aqui na lista não só por ter um ritmo e letra incrivelmente “catchy”, mas também porque traduz na perfeição o espírito do desenho animado. “Top Cat” é uma história “à moda antiga” sobre vigaristas charmosos e este tema musical mostra-nos exatamente isso desde a primeira nota. Em todos os sentidos da expressão, um clássico.

 

Animaniacs

Falando de músicas que transpiram o tom da série por todos os seus poros, talvez não haja melhor exemplo que esta gloriosamente estranha preciosidade. “Animaniacs” foi um oásis de loucura e irreverência num deserto de fofura e heróis sensaborões. Repleta de referências “meta” e cameos tresloucados, esta música de genérico era uma janela aberta para a genialidade surreal dos mundos de Yakko, Wakko e Dot.

 

Sonic The Hedgehog

“Sonic! He can really move! / Sonic! He’s got an attitude!”. Mesmo que uma equipa de musicólogos se juntasse num laboratório para tentar criar a música mais anos 90 de sempre, não beliscariam a épica nostalgia do genérico de “Sonic The Hedgehog”. A série era surpreendentemente boa, apesar de nunca se ter tornado necessariamente um grande êxito em Portugal. Mas a canção? Essa é inesquecível.

 

Darkwing Duck

Eu adorava esta série. O titular “Darkwing Duck” era uma sátira hilariante aos clichés dos super-heróis, sempre mais convencido da sua imponência que necessariamente competente na luta ao crime. A música era completamente viciante, ao bom estilo da “era dourada” da animação para televisão dos anos 90, combinando “coolness” e palhaçada com uma subtileza que é raro encontrarmos em produtos para crianças.

 

Gummi Bears

Vou ser sincero – não me lembro de quase nada desta série. Tenho ideia de gostar, mas isso é completamente irrelevante. Ouçam-me bem esta música! Posso dizê-lo, sem qualquer vestígio de hipérbole, que esta é a música mais estupidamente feliz da história do Universo. Sai da frente, Pharrell. Chega-te para o lado, Beethoven. É impossível ouvir esta canção sem um sorriso nos lábios e um punho triunfal erguido aos céus.

 

Thundercats

A série era cool. O vilão era aterrador. Os heróis eram uma mistura eclética e fascinante de personalidades que oscilava entre o estoicismo, a irreverência e a mais pura trapalhice. Até o logo desta porra era irrepreensível. Mas nada bate o quão “badass” esta canção era. 80s até à medula, com riffs de guitarra a rasgar o contínuo espaço-tempo e a inspirar imagens de batalhas intergalácticas. Esta canção ERA os “Thundercats”.

 

X-Men

Estamos ainda na fase “músicas para destruir tudo à volta com movimentos de air guitar” desta lista. A entrada desta equipa de super-heróis no mundo da televisão foi um evento na altura, em 1992, e não podia ter tido melhor cartão de apresentação que esta malha de rock de fazer crescer pelos no peito – tanto a rapazes como raparigas. Foi a primeira e única vez que algo associado aos “X-Men” conseguiu ser ainda mais “cool” que o Wolverine.

 

Johnny Bravo

Esta simplesmente faz-me rir. Com apenas 30 segundos de duração, é uma pérola de trompetes desvairados, guitarras surfistas e interjeições machonas do incomparável “Johnny Bravo”. Foi uma das primeiras animações do Cartoon Network a colocar o ênfase na história e tornou-se o “animal espiritual” do, na altura ascendente, canal de animação. E cada vez que ouço esta música brilhante, sou transportado de novo a este mundo.

 

Teenage Mutant Ninja Turtles

Demorei anos a compreender que não era fisicamente possível eu transformar-me no meu herói de infância, o Donatello – the one who loves machines. Ainda hoje sinto uma ligação inexplicável a estas absurdas tartarugas – e tudo começa com esta música, que cristalizava todo aquele sentimento de festa e aventura numa saraivada de som que invadia a minha televisão todos os fins-de-semana. E sabiam que foi escrita por Chuck Lorre? Sim, o criador de “Two and a Half Men” e “The Big Bang Theory”.

 

Ducktales

“Life is like a hurricane, here in Duckburg / Race cars, lasers, airplanes – it´s a duck blur / You might solve a mystery or rewrite History / Ducktales, oo-ooh ooh! / Everyday they’re out there making… / Ducktales, oo-ooh ooh! / Tales of daring-do bad and good luck tales oo-ooh ooh!”. Sim, escrevi isto de memória. Sim, não vão conseguir retirar esta música da cabeça o resto do dia. Mas havia dúvidas que “Ducktales” ia ficar em primeiro nesta lista?

Facebook Comments

Leave a comment