Uma boa prova que não chega ao pódio.


Título original: Race (2016)
Realizador: Stephen Hopkins
Actores: Stephen James, Jason Sudeikis, Jeremy Irons

Race centra-se à volta de Jesse Owens e na sua histórica participação nos Jogos Olímpicos em Berlim, no ano de 1936, em pleno crescimento do Império Nazi de Adolf Hitler, onde ganha quatro medalhas de ouro e estabelece vários recordes olímpicos.

Começamos no início dos anos 30 quando Owens (Stephen James) vai para a Universidade de Ohio State com o intuito de entrar no programa de atletismo a cargo de Larry Snyder (Jason Sudeikis). A adaptação a esta nova realidade não é fácil para Jesse, que tenta dar apoio à sua família e ao mesmo tempo sente na pele a descriminação racial ainda presente nos Estados Unidos.

Com a aproximação dos Jogos Olímpicos de Berlim, os Estados Unidos ponderam se devem ou não boicotar os jogos como protesto ao implementado regime Nazi de segregação racial e de exclusão de judeus. De um lado estava Avery Brundage (Jeremy Irons), líder do Comité Olímpico Americano, contra o boicote, e Jeremiah Mahoney (William Hurt), Presidente da União Atlética Amadora, a favor.

Owens acaba por seguir para Berlim com o seu treinador Snyder, não sem antes ele próprio ser confrontado com a possibilidade de recusar a sua selecção para representar o país pela comunidade negra americana, que considerava que a sua participação de alguma maneira validava a descriminação defendida por Hitler.

Toda esta história seria meio caminho andado para se fazer um filme de grande qualidade e de importância, também ela histórica. Filme de época, com eventos históricos, sobre um herói americano, num momento negro da história dos Estados Unidos com um racismo primário, e no começo do domínio Nazi na Europa. Tinha todos os ingredientes. Mas o realizador Stephen Hopkins não teve mãozinhas para isto. Com uma carreira com poucos filmes de relevância e mais virada para a TV, é notório o erro de casting. Com um argumento e diálogos mais condizentes com o peso histórico do tema, e um bom realizador, este seria um filme bem melhor. Há alguns desequilíbrios no ritmo do argumento, que consegue ter bons momentos, até emocionantes, mas que tem demasiados personagens que entram e saem da história sem dar grande contributo. Há uma tentativa de mostrar todos os lados do herói da história e assim construir um Jesse Owens mais real e humano. Mas os seus “defeitos” são tão rapidamente esquecidos, que acabam por ser quase irrelevantes na narrativa.

As performances acabam por ser uma das boas coisas do filme. Stephen James entrega-se de corpo e alma e dá forma a um Owens bastante seguro. Jason Sudeikis como o treinador Snyder é muito Jason Sudeikis, o que é bom como contraponto emocional e na entrega de tiradas cómicas de timing perfeito. Jeremy Irons acho que não é preciso dizer nada. Quando é que este senhor falhou? Uma menção honrosa para Carice van Houten, que nos dá uma Leni Riefenstahl que agarra todos os momentos que tem no ecrã e para David Kross, por ter dado corpo ao atleta alemão Carl “Luz” Long e ter com Owens uma das relações mais interessantes durante os Jogos.

Mas acaba por saber a pouco. Nem a curiosidade de estes terem sido os primeiros jogos registados em filme, por uma das mais conceituadas realizadoras da história, foi aproveitada. Adolf Hitler tinha encomendado a Leni Riefenstahl a cobertura dos jogos, com a intenção de criar mais uma peça de propaganda. Já o tinha feito um ano antes com a cobertura do comício do partido Nazi, em “O Triunfo da Vontade”, considerado por muitos uma das maiores obras documentais da história do cinema. No resultado da filmagem dos Jogos, o filme “Olimpíadas”, Leni usou técnicas de filmagem completamente inovadoras na altura. Isso podia ter sido mais explorado visualmente neste filme, e simplesmente foi abordado como uma nota de rodapé.

No fim temos um filme com boas performances, boa direcção artística, bom director de fotografia, mas um argumento que quebra o ritmo a espaços e um realizador que acaba por não conseguir unir as pontas todas. Uma pena, pois podia ser um filme infinitamente melhor.

 

TRAILER

Facebook Comments

2 Comments

  • real madird
    On 07/03/2017 19:34 0Likes

    Awesome blog. I enjoyed reading it! Thank you!

  • Carmen Arroyo
    On 27/10/2017 13:50 0Likes

    Vale muito a pena ver esse filme. Quando leio que um filme será baseado em fatos reais, automaticamente chama a minha atenção, adoro ver como os adaptam para a tela grande. Particularmente Raça filme , adorei este filme. A história é impactante, sempre falei que a realidade supera a ficção.

Leave a comment